Marcon Logística Portuária

Paraná tem melhor gestão portuária do Brasil pelo terceiro ano seguido

A Portos do Paraná foi eleita pela melhor gestão portuária do País pelo terceiro ano consecutivo. O reconhecimento foi feito pelo governo federal na terceira edição do Prêmio “Portos + Brasil”, entregue na noite desta quinta-feira (23), pelo Ministério da Infraestrutura, em Brasília.

Entre todos os portos públicos brasileiros, os paranaenses (Paranaguá e Antonina) alcançaram a nota máxima no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP): 100 pontos. O indicador é considerado o mais importante para atestar a capacidade de gerência dos portos. Essa foi uma novidade da premiação desse ano.

A categoria considera 15 indicadores, como índices financeiros, contábeis, de transparência administrativa, estrutura organizacional, regularidade tributária e trabalhista, além da manutenção dos acessos aquaviários, por exemplo.

A Portos do Paraná foi destaque em três das cinco categorias públicas. A empresa ficou entre as três primeiras colocadas em execução dos investimentos planejados e variação do lucro operacional.

Ela ficou em segundo lugar em Variação do Lucro Operacional (EBITDA), com alta de 146,6% na comparação entre 2021 e 2020. O indicador é considerado por analistas e investidores como o resultado da operação da empresa e é muito usado nas práticas contábeis para avaliar a situação financeira, econômica e mercadológica de uma companhia.

“O EBITDA é muito importante para o mercado internacional, principalmente em um setor em que com intenção de investimentos em longo prazo. Ele demonstra o quanto a empresa é eficiente em transformar a sua receita em geração de caixa operacional, efetivamente”, explica o secretário estadual de infraestrutura e logística, Fernando Furiatti.

Na categoria Execução dos Investimentos Planejados, o Estado ficou em terceiro lugar, com índice de 81,5%. A métrica mede a proporção do orçamento de investimento disponível que foi efetivamente executada pela autoridade portuária.

TRANSFORMAÇÃO

O reconhecimento dos portos de Paranaguá e Antonina no cenário nacional vem acompanhado de uma série de recordes. Entre janeiro de 2019 e maio de 2022 foram 185.023.227 toneladas de cargas movimentadas e 36 marcas batidas, incluindo maior navio de grãos recebido, maior número de caminhões no Pátio de Triagem e maior movimentação da história.

“A premiação é um reconhecimento do trabalho incansável dos funcionários da Portos do Paraná, dos trabalhadores portuários, empresários e membros da nossa comunidade. Além disso, comprova o compromisso do Governo do Estado com a excelência dos serviços prestados para todos os paranaenses”, destacou o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Segundo ele, nos últimos três anos, a empresa pública investiu R$ 437 milhões nos portos paranaenses. Neste ano, as obras em andamento já somam R$ 77,67 milhões, em recursos próprios.

“Entregamos o novo viaduto na BR-277, a recuperação da avenida Bento Rocha e a ampliação do cais, com o berço 201. A dragagem de manutenção avançou e estamos com a derrocagem da Pedra da Palangana em andamento. Além disso, nos tornamos o primeiro estado do Brasil a receber autonomia para administrar os contratos de exploração, com duas áreas já leiloadas”, lembrou.

Ele também destacou a abertura para investimentos privados. “Desde 2019, foram três novos terminais licitados, voltados para movimentação de celulose, veículos e carga geral, além de contratos de arrendamentos que foram renovados. Agora estamos com outras quatro áreas em processo de licitação”, completou Garcia.

Nos próximos dois anos, os portos paranaenses devem receber cerca de R$ 2,3 bilhões em investimentos, públicos e privados. Estão previstos os estudos e as obras do Corredor de Exportação Leste do Porto de Paranaguá, a construção do “Moegão” exclusivo para descargas ferroviárias, além da continuação da dragagem e implantação de novos silos, armazéns e esteiras transportadoras, entre outros.

PRÊMIO

O Prêmio Portos + Brasil é uma iniciativa do Ministério da Infraestrutura. “A boa gestão tem um caráter sistêmico. Temos excelência de gestão, com boas práticas de governança, meritocracia. O porto hoje não é mais gargalo, mas solução para os problemas nacionais e internacionais. Com todas as dificuldades, o setor respondeu com altivez e com números recordes, que foram importantíssimos para a economia do Brasil”, destacou o secretário Nacional de Portos, Mário Povia.

 

Fonte: Portos do Paraná

}

07.01.2022

Em Destaque

Relacionados

O comércio exterior e as eleições no Brasil

O comércio Internacional é desde milênios atrás indutor de desenvolvimento e riquezas. Mas quais serão os desafios para o comércio internacional do Brasil frente ao cenário eleitoral deste ano? Qual será a estratégia para ampliar a presença e atuação no cenário...

Antaq detalha impactos da pandemia no transporte marítimo

O medo causado pela covid-19 mudou muitos dos hábitos das pessoas. Entre eles, aumentou o de comprar via internet produtos estrangeiros, que têm como porta de entrada no mercado brasileiro os terminais portuários. Relatório divulgado hoje (28) pela Agência Nacional de...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

ago 17 2022

Faturamento com exportações do agronegócio é recorde no 1º semestre

O faturamento das exportações do agronegócio brasileiro somou US$ 79 bilhões no primeiro semestre deste ano, 26% acima do registrado no mesmo...
ago 16 2022

Conab estima safra de grãos em 271,4 milhões de toneladas em 2021/22

A produção de grãos brasileira deverá ficar em 271,447 milhões de toneladas, segundo o 11º Levantamento da Safra de Grãos divulgado hoje (11) pela...
ago 15 2022

Balança comercial tem superávit de US$ 1,2 bilhão na primeira semana de agosto

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,236 bilhão na primeira semana de agosto de 2022 e corrente de comércio US$ 13,251...
ago 12 2022

Gecex reduz tarifas de importação de insumos industriais

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou nesta quarta-feira (3/8), em sua 2ª reunião extraordinária de...
ago 11 2022

O comércio exterior e as eleições no Brasil

O comércio Internacional é desde milênios atrás indutor de desenvolvimento e riquezas. Mas quais serão os desafios para o comércio internacional do...
ago 10 2022

Produção de veículos cresce 33,4% em julho, diz Anfavea

A produção de veículos cresceu 33,4% em julho na comparação com o mesmo mês de 2021, segundo balanço divulgado hoje (5) pela Associação Nacional de...
ago 09 2022

Brasil tem forte expansão na corrente de comércio com seus principais parceiros comerciais

O Brasil obteve números expressivos no intercâmbio comercial com seus cinco principais parceiros comerciais no período janeiro-julho, segundo dados...
ago 08 2022

Corrente de comércio brasileira alcança US$ 54,465 bilhões em julho

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia divulgou nesta segunda-feira (1º/8) os dados preliminares da balança comercial...
ago 05 2022

Antaq detalha impactos da pandemia no transporte marítimo

O medo causado pela covid-19 mudou muitos dos hábitos das pessoas. Entre eles, aumentou o de comprar via internet produtos estrangeiros, que têm...
ago 04 2022

Superávit da balança comercial chega a US$ 39,63 bilhões no ano, até a quarta semana de julho

A balança comercial brasileira acumulou superávit de US$ 39,63 bilhões neste ano, até a quarta semana de julho, recuando 7,5% em relação ao período...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes