A internacionalização não é uma tarefa fácil, mas os empresários podem ter sucesso se buscarem boas orientações. Ajudar a construir a estratégia e consolidar a atuação de empresas brasileiras no exterior é o maior objetivo da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Além disso, de acordo com o Perfil das Empresas Exportadoras Brasileiras de 2018, médias, micro e pequenas empresas são responsáveis por 77% das exportações. Ou seja, não se trata de porte, mas de preparação, planejamento e profissionalismo.

Por isso, neste Dia do Exportador – comemorado em 28 de janeiro –, a Agência CNI de Notícias trouxe 4 dicas fundamentais para quem deseja internacionalizar a empresa. Confira!

1. Se informe

Estudos, pesquisas e uma assessoria adequada ajudam a definir os mercados para cada produto. Cada país tem regras específicas para exportação e é preciso conhecê-las antes de iniciar a operação. A apuração de informações estratégicas sobre potenciais parceiros ou concorrentes também é necessária. Feiras e missões internacionais ajudam muito nesta etapa.

2. Defina as condições de venda e a logística

Essa etapa é importante para estabelecer o preço do produto. A sua empresa precisa escolher o meio de transporte para despachar a venda, analisar o tempo de entrega, as condições de pagamento internacional, a quantidade mínima de venda, bem como o seguro e os impostos cobrados no destino. Com isso em mente, você pode definir variações de preços a depender das condições.

3. Exercite sua habilidade de negociação

É importante pesquisar potenciais clientes e participar de encontros de negócios no Brasil e no exterior. Nem sempre as melhores condições para você atendem aos interesses do importador, por isso é importante ajustar as propostas a cada situação. A negociação certamente será mais bem sucedida se você tiver mais informações sobre o mercado onde quer atuar, como hábitos de consumo, preço final, canais de distribuição.

4. Seja claro e aproveite os acordos comerciais

É fundamental formalizar o contrato com todas as condições acordadas – volume, prazo, descrição do produto, responsabilidades mútuas – para diminuir riscos. A CNI, por meio de todas as federações de indústria oferece o Certificado de Origem Digital (COD), um documento que garante benefícios tarifários aos produtos nos países com os quais o Brasil tem acordo comercial e pode funcionar como um diferencial de mercado nos demais.

 

Fonte: Comex do Brasil / CNI