A Portos do Paraná investiu cerca de R$ 162,6 milhões, em 2021, em obras e projetos importantes e muito esperados pela comunidade portuária. Além da derrocagem, que chega a quase 75% de execução, outras obras do planejamento tiveram foco em infraestrutura marítima, terrestre e de acesso.

“Avançamos com segurança e celeridade no derrocamento de 12% dos pontos mais altos da Pedra da Palangana. Demos início à obra em setembro e vamos concluir logo no início de 2022”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. O investimento é de quase R$ 26 milhões com recursos próprios da empresa pública.

Para manter a segurança da navegação e a competitividade no cenário logístico e portuário, a derrocagem não é a única obra em andamento nesse importante pilar da gestão portuária do Estado.

Entre as obras de infraestrutura marítima também se destacam a continuidade da dragagem de manutenção – na qual foram investidos R$ 32,13 milhões em 2021 – e a dragagem dos dolfins, estrutura de amarraçãodo berço 219 utilizada para os navios de cargas rolantes – Ro-Ro/PCC (R$ 28,2 milhões, 45% concluída).

No cais, as obras de drenagem, um investimento total de R$ 17,4 milhões, foi realizada em cinco lotes. Os trabalhos incluíram a adequação e recuperação do sistema de drenagem pluvial com uso de mecanismos de retenção de matéria orgânica, minimizando a carga orgânica despejada nas galerias do Porto de Paranaguá.

Também na faixa primária, sete novos banheiros foram construídos e estão em fase de finalização para atender os quase 2 mil trabalhadores que acessam o cais todos os dias. Um investimento de cerca de R$ 1,87 milhão.

“Avançamos também na reforma e construção de novos trapiches”, destaca Garcia. As obras de construção começaram em duas estruturas da Ilha dos Valadares, em Paranaguá (uma no mar de fora e outra próxima à passarela), e outros dois em Antonina (na Ponta da Pita e no Portinho), além do trapiche do Rocio, que já está em reforma. O valor desse contrato é de R$ 17,17 milhões”.

“Começamos a demolição do silinho vertical. Uma área nobre de mais de 2 mil metros quadrados que dará espaço para ampliação da capacidade operacional do porto”, destaca o diretor de Engenharia e Manutenção, André Cassanti Neto. O investimento na obra é de R$ 3,47 milhões.

Os trabalhos já finalizados incluem melhorias na sinalização náutica dos acessos marítimos (R$ 2,8 milhões) e obras de recuperação e proteção da estrutura do Píer Público de Inflamáveis do Porto de Paranaguá, com investimento R$ 28,25 milhões, que estão 40% concluídas.

OUTRAS AÇÕES – Além das obras, a Portos do Paraná desenvolveu, em 2021, projetos imprescindíveis. “O projeto executivo para restauração da Avenida Ayrton Senna, entre entroncamento da BR-277 e o porto, está quase 90% pronto, com um investimento de R$ 1,67 milhão”, destaca o diretor de Engenharia.

O projeto básico da remodelação do Corredor de Exportação (Correx), para um novo e mais moderno sistema interligado, também avançou (R$ 3,7 milhões em investimento). “Foram muitas as realizações de engenharia e manutenção em 2021. Porém, fechamos o ano com a expectativa de mais avanços e conquistas importantes para 2022”, afirma Garcia.

EXPECTATIVA – Entre as obras mais esperadas para os próximos anos está o Cais Leste, o Moegão, cuja contratação está prevista logo para o início de 2022. Este será um investimento público na ordem de R$ 500 milhões, na construção de uma moega exclusiva para o modal ferroviário. A ideia é atender, em um único ponto, por conexões aéreas (correias transportadoras), todos os 11 terminais que operam à Leste no Corredor de Exportação.

Além deste, estão previstos outros empreendimentos da Portos do Paraná como a demolição dos armazéns AZ10, 12,12A ,13 e 13A; a contratação trapiches das comunidades de Piaçaguera, Vila Maciel, Amparo, Eufrasina, Europinha e Teixeira; a execução do dolfin do Píer de Inflamáveis; além do estudo de viabilidade técnica de elevação dos dutos de inflamáveis; entre outras benfeitorias.

“Não podemos esquecer que expectativa de novas obras e investimentos é expectativa de geração de mais empregos e oportunidades para toda a comunidade do Litoral”, conclui Garcia.

 

Fonte: Portos do Paraná