Marcon Logística Portuária

Corrente de comércio brasileira alcança US$ 54,465 bilhões em julho

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia divulgou nesta segunda-feira (1º/8) os dados preliminares da balança comercial de julho de 2022. As exportações brasileiras somaram, no mês passado, US$ 29,955 bilhões, e as importações, US$ 24,511 bilhões. Isso gerou um saldo positivo de US$ 5,444 bilhões com a corrente de comércio (soma das exportações com as importações) em US$ 54,465 bilhões. No acumulado do ano, as exportações totalizam US$ 194,079 bilhões e as importações, US$ 154,328 bilhões, um saldo positivo de US$ 39,751 bilhões e corrente de comércio de US$ 348,407 bilhões.

Nas exportações, a média diária de julho de 2022 foi de US$ 1,426 bilhão, ou seja, crescimento de 23% ante US$ 1,159 bilhão, em julho do ano passado. Em relação às importações, a média do mês passado foi de US$ 1,167 bilhão, alta de 41,6% frente US$ 824 milhões em julho de 2021. A média diária da corrente de comércio em julho de 2022 totalizou, por sua vez, US$ 2, 593 bilhões, e o saldo, também por média diária, foi de US$ 259,24 milhões.

A média diária das exportações de janeiro a julho de 2022 foi de US$ 1,338 bilhão, crescimento de 20% (ante US$1,115 bilhão em igual período do ano passado). Nas importações, a média diária de janeiro a julho deste ano foi de US$ 1,064 bilhão, elevação de 31,6% em relação a igual período de 2021 (US$ 809 milhões). A média diária da corrente de comércio totalizou US$ 2,402 bilhões e apresentou crescimento de 24,9% na comparação entre os dois períodos.

Setores e produtos

O mês de julho de 2022 registrou a seguinte média diária das exportações, no corte por setores: crescimento de US$ 91,72 milhões (40,2%) em Agropecuária; queda de US$ 18,74 milhões em Indústria Extrativa (-5,6%); e crescimento de US$ 195,39 milhões na Indústria de Transformação (33,2%).

A combinação desses resultados levou a um aumento das exportações. Na Agropecuária, os destaques foram soja; milho não moído, exceto milho doce; café não torrado; arroz com casca, paddy ou em bruto; além de animais vivos, não incluídos pescados ou crustáceos.

Na Indústria de Transformação, os destaques foram óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos); açúcares e melaços; carne bovina fresca, refrigerada ou congelada; gorduras e óleos vegetais, “soft”, bruto, refinado ou fracionado; além de ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas.

Nas importações, considerando o desempenho dos setores pela média diária, houve crescimento de US$ 1,85 milhões (8,9%) em Agropecuária; alta de US$ 18,6 milhões (35,2%) em Indústria Extrativa; e elevação de US$ 321,76 milhões (43,4%) em produtos da Indústria de Transformação.

Esses resultados, combinados, levaram a um aumento das importações em julho nos segmentos da Agropecuária, Indústria Extrativa e Indústria de Transformação.

Na Agropecuária, os destaques foram trigo e centeio, não moídos; milho não moído, exceto milho doce; frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas; matérias vegetais em bruto; além de centeio, aveia e outros cereais, não moídos.

Na Indústria Extrativa, os destaques nas importações foram carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado; óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus; fertilizantes brutos (exceto adubos); outros minérios e concentrados dos metais de base; e minério de ferro e seus concentrados.

Na Indústria de Transformação, os destaques foram adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos); óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos); inseticidas, rodenticidas, fungicidas, herbicidas, reguladores de crescimento para plantas, desinfetantes e semelhantes; válvulas e tubos termiônicas, de cátodo frio ou foto-cátodo, diodos, transistores e Compostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamidas.

Blocos e países

Julho de 2022 registrou aumento percentual das exportações, principalmente, para os seguintes destinos: Oceania (85,55 %), Oriente Médio (68,13 %), América do Sul (64,69 %), Europa (46,49 %) e América Central e Caribe (21,53 %). As exportações para a África registraram retração de 3,26%.

Do lado das importações, os maiores crescimentos de julho de 2022 foram para Oceania (114,84 %), Oriente Médio (88,78 %), América do Norte (68,9 %) e Europa (41,32 %). Caíram as importações da América Central e Caribe ( -12,67 %).

 

Fonte: Ministério da Economia

}

08.08.2022

Em Destaque

Relacionados

Balança comercial tem superávit de US$ 8,534 bi em maio

A queda de preços da soja e do minério de ferro fez o superávit da balança comercial cair em maio. No mês passado, o país exportou US$ 8,534 bilhões a mais do que importou, divulgou nesta quinta-feira (6) o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

jun 17 2024

Portos do Paraná estreita ligação com dirigentes e investidores espanhóis

Empresa pública participou de intercâmbio no país europeu que contou com jornadas empresariais e visitas a instalações portuárias em Madri, Valência...
jun 14 2024

Balança comercial tem superávit de US$ 8,534 bi em maio

A queda de preços da soja e do minério de ferro fez o superávit da balança comercial cair em maio. No mês passado, o país exportou US$ 8,534 bilhões...
jun 13 2024

Argentina suspende antidumping sobre exportações brasileiras de talheres de aço inoxidável com cabo de madeira ou plástico

O governo do Brasil recebeu com satisfação a decisão do governo da República Argentina de suspender a medida antidumping aplicada às exportações...
jun 12 2024

Volume de soja exportada cai 13,6% em maio, e envios de carne bovina sobem 26%

O Brasil exportou 13,450 milhões de toneladas de soja em grão em maio, 13,69% a menos do que os 15,584 milhões de toneladas de igual período de...
jun 11 2024

Brasil faz acordo com China que pode aumentar exportação de café

O vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin, assinou nesta quarta-feira (5)...
jun 10 2024

Brasil usa presidência do G20 para propor mudanças nas regras do comércio agrícola entre países

Nas discussões do G20, o grupo que reúne as maiores economias do mundo, o Brasil tem proposto ajustes no equilíbrio entre a expansão do comércio...
jun 07 2024

Mapa encerra maio com recorde histórico de aberturas de mercados para o mês

O mês de maio deste ano se encerra como o melhor maio da série histórica em termos de novos acordos comerciais no mercado mundial para produtos do...
jun 06 2024

Exportações do Brasil para os EUA superam os 12 bilhões de dólares no ano

O governo realizou, nesta semana, um seminário para marcar os “200 anos de amizade Brasil-Estados Unidos”. No encontro, a secretária de Comércio...
jun 05 2024

Com evolução de 34%, Paraná deve colher 646 mil toneladas de feijão em 2024

As condições climáticas têm refletido nas produções agrícolas de praticamente todo o País, e no Paraná também reduziram o potencial. Mesmo assim, em...
jun 04 2024

BNDES reduz de novo juros de linha especial para exportações brasileiras

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) promoveu nova redução de juros no BNDES Exim Pré-Embarque, linha de crédito que...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes