Marcon Logística Portuária

Comércio Brasil-EUA se recupera da maior retração em 11 anos e tem alta de 10,9% entre janeiro e maio

Após atingir em 2020 a mais baixa marca dos últimos 11 anos, o comércio entre o Brasil e os Estados Unidos vem se recuperando graças, principalmente, a uma forte expansão das exportações brasileiras, que até o último mês de maio cresceram 25,5%, comparativamente com os cinco primeiros meses do ano passado, totalizando US$ 10,671 bilhões. Em contrapartida, as vendas americanas tiveram uma alta bem mais modesta, da ordem de 1,5% para US$ 13,485 bilhões.
A corrente de comercio (exportações+importações) registrou um incremento de 10,9%, totalizando US$ 24,163 bilhões. No período, os Estados Unidos obtiveram um superávit de US$ 2,807 bilhões nas trocas comerciais com o Brasil. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

O ano de 2020 foi marcado por uma profunda contração do comércio bilateral. As exportações brasileiras caíram 27,8%, totalizaram US$ 21,471 bilhões e, em termos absolutos, os Estados Unidos foram o parceiro mais afetado entre os principais sócios comerciais do Brasil. Por outro lado, as exportações americanas caíram 19,8% comparativamente com 2019, totalizando US$ 27,876 bilhões. Ano passado, o fluxo de comércio bilateral totalizou US$ 49,347 bilhões e gerou um superávit de US$ 6,405 bilhões em favor dos americanos.
Ao analisar os dados do comércio bilateral em 2020, o vice-presidente executivo da Amcham Brasil, Abraão Neto, destacou que “o comércio entre Brasil e Estados Unidos é formado sobretudo por produtos de maior valor agregado, os mais afetados pela crise mundial. Os efeitos negativos provocados pela pandemia e a queda do preço internacional do petróleo ajudam a entender a contração das trocas comerciais bilaterais em 2020”.

A situação de queda consistente nas trocas bilaterais começou a ser revertida no último trimestre do ano passado, quando foi registrada a menor taxa de contração das exportações brasileiras para os Estados Unidos no ano (-16,9%) apontando para uma trajetória de recuperação em 2021.
Em maio, a recuperação que já vinha se confirmando nos primeiros meses deste ano, ganhou consistência e entre os cinco principais produtos da pauta exportadora brasileira para os Estados Unidos, apenas um, demais produtos da indústria de transformação, finalizou os cinco primeiros meses do ano em queda, com uma retração de -24% para US$ 433 milhões.
Os demais produtos fecharam o período com altas consistentes: produtos semiacabados de ferro ou aço (alta de 78,0% para US$ 1,78 bilhão), petróleo (+26,7% e receita de US$ 733 milhões), aeronaves (aumento de 75,6% para US$ 557 milhões) e café não torrado (alta de 14,8% e receita no montante de US$ 460 milhões).

Do lado americano, também um só produto do ranking dos cinco itens principais embarcados para o Brasil teve redução de receita, os óleos combustíveis, com uma retração de -13% para US$ 2,4 bilhões. Os outros quatro itens apresentaram altas consistentes: motores e máquinas não-elétricos (US$ 900 milhões e alta de 17%), gás natural (aumento de 752% para US$ 760 milhões), demais produtos da indústria de transformação (aumento de 4,69% e receita no montante e US$ 590 milhões) e aeronaves (forte alta de US$ 108% para US$ 470 milhões).

 

Fonte: Comex do Brasil

}

07.02.2021

Em Destaque

Relacionados

Agronegócio exporta US$ 15,20 bi em junho e US$ 82,39 bi no semestre

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15, 20 bilhões em junho de 2024 , um aumento do valor das exportações comparado ao mês de maio/2024 , que atingiu 15,02 bilhões. As exportações brasileiras de grãos subiram de 14,96 milhões de...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

jul 23 2024

Operações de Sucesso: Marcon Logística Portuária em Destaque

No último final de semana, a Marcon Logística Portuária mostrou mais uma vez sua eficiência e capacidade ao conduzir operações em dois navios RORO...
jul 23 2024

Agronegócio exporta US$ 15,20 bi em junho e US$ 82,39 bi no semestre

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15, 20 bilhões em junho de 2024 , um aumento do valor das exportações...
jul 22 2024

Portos do Paraná registram recorde histórico de movimentação mensal

Os portos paranaenses alcançaram uma nova marca histórica de movimentação. Ao todo, 6.582.670 de toneladas foram movimentadas em junho deste ano,...
jul 19 2024

Abertura do mercado cubano para exportação de quatro produtos do agronegócio brasileiro

O governo brasileiro recebeu com satisfação o anúncio, pelo governo de Cuba, da autorização para que o Brasil exporte os seguintes produtos para...
jul 18 2024

Camex mantém elevação de tarifas de importação de resíduos sólidos

Em 18% desde julho do ano passado, as tarifas de importação para resíduos de papel, plástico e vidro permanecerão nesse nível por mais um ano,...
jul 17 2024

Carteira de exportação do BNDES aprova volume 135% maior de créditos em 2024

O valor das aprovações de crédito para a linha BNDES EXIM Pré-Embarque, que financia as exportações de empresas nacionais, cresceu 135% no primeiro...
jul 16 2024

Exportações do Paraná para Ásia, África e Oriente Médio batem recorde no 1º semestre

O Paraná obteve no 1º semestre de 2024 o seu melhor desempenho nas vendas para os mercados do Oriente Médio, África e Sudeste Asiático , com maior...
jul 15 2024

Mercosul e Emirados Árabes Unidos iniciam negociações de um acordo de livre comércio

Representantes dos países membros do Mercosul e dos Emirados Árabes Unidos se reuniram em Assunção, entre os dias 2 e 4 de julho, e formalizaram  o...
jul 12 2024

Receita Federal aprimora Programa OEA-Integrado para facilitar operações internacionais

A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou a Portaria RFB nº 435, de 2 de julho de 2024, que estabelece novas regras para a participação de órgãos e...
jul 11 2024

Brasil e Palestina firmam acordo de livre comércio no âmbito do Mercosul

Em 3 de julho de 2024, o Brasil depositou sua carta de ratificação ao Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e o Estado da Palestina. A carta foi...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes