O terminal de contêineres de Paranaguá voltou a operar uma rota semanal que liga a cidade do litoral paranaense à costa leste dos Estados unidos, após 13 anos sem o serviço. O primeiro navio a fazer a rota, o MSC Carolina, partiu de Paranaguá em abril. De acordo com a TCP, empresa que administra o terminal de contêineres, serão realizadas escalas semanais regulares do novo serviço.

A linha marítima contempla uma rotação nos portos de Buenos Aires (Argentina), Montevidéu (Uruguai), Rio Grande (Brasil), Navegantes (Brasil), Paranaguá (Brasil), Santos (Brasil), Rio de Janeiro (Brasil), Salvador (Brasil), Suape (Brasil), Cristobal (Panamá), Filadélfia (Estados Unidos), Nova Iorque (Estados Unidos), Norfolk (Estados Unidos), Baltimore (Estados Unidos), Charleston (Estados Unidos), Savannah (Estados Unidos), Caucedo (República Dominicana) e Santos (Brasil).

A rota é fruto de uma parceria da TCP com a Mediterranean Shipping Company (MSC) e foi possível, segundo a empresa, devido à estrutura e aos serviços logísticos oferecidos pelo terminal paranaense, que tornam a operação de cargas até 40% mais competitiva na comparação com outros portos.

Com um investimento de R$ 550 milhões, a TCP trabalha na ampliação da capacidade de movimentação do terminal de Paranaguá, dos atuais 1,5 milhão de contêineres/ano para 2,5 milhões de contêineres/ano. O TCP foi comprado em setembro de 2017 pela operadora chinesa de terminais China Merchants Port (CMPort), por R$ 2,9 bilhões. Os chineses ficaram com de 90% da empresa, enquanto os 10% restantes permaneceram com os sócios-fundadores brasileiros, os grutpos Pattac Empreendimentos e Participações S.A. (Pattac), Soifer Participações Societárias S.A. (Soifer) e TUC Participações Portuárias S.A. (TUC).

Fonte: Gazeta do Povo