Com o auxílio da Bolsa de Chicago, o preço da soja ignorou a desvalorização do dólar e embarcou em mais uma alta no mercado físico, de acordo com a Agrifatto.

O valor da oleaginosa em Paranaguá (PR) voltou a bater um recorde histórico, conforme levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), chegando à máxima de R$ 138,46 por saca. O farelo no país continua na mesma toada, registrando altas e chegando próximo dos R$ 1.900 por tonelada em Goiás.

China e petróleo justificaram a alta de 1,99% na cotação da soja em Chicago com vencimento para novembro de 2020. O gigante asiático comprou oleaginosa dos EUA pelo nono dia consecutivo, dando sustentação para que o contrato atingisse os US$ 10,11 por bushel, o maior valor desde que este começou a ser negociado.