Marcon Logística Portuária

Porto de Paranaguá investe pesado para concorrer com terminais de Santos e SC

Mesmo em meio a uma pandemia que paralisou diversos setores da economia, os portos paranaenses de Paranaguá e Antonina terminaram 2020 com uma marca inédita. Foram 57 milhões de toneladas movimentadas, o maior volume da história. A safra recorde e o câmbio favorável, aliados a outros fatores, foram os principais responsáveis por esse resultado, que abre perspectivas para um 2021 na mesma toada. A ideia é tornar os terminais cada vez mais competitivos, fazendo frente aos portos de Santos (SP), São Francisco do Sul e Itajaí (SC), principais destinos das cargas movimentadas na região.

“Nossa missão é entregar um porto cada vez mais competitivo”, resume Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente da Portos do Paraná, empresa que administra os terminais de Paranaguá e Antonina. Manter ou ampliar a movimentação nesses portos não depende exclusivamente da administração, mas algumas ações fazem a diferença na disputa de um mercado acirrado. A principal aposta são os investimentos em infraestrutura.

Estão previstos para 2021 os leilões de arrendamento de cinco áreas no Porto de Paranaguá. Duas delas já tiveram a consulta aberta, uma para granéis líquidos e outra para carga geral, especialmente açúcar ensacado. Em abril deve ser aberta a consulta para as outras três, voltadas a granéis sólidos. “São áreas já exploradas, mas que, com os arrendamentos, receberão novos e modernos investimentos. Isso potencializa a ocupação dessas áreas, que ganham uma capacidade instalada muito mais adequada do que têm hoje”, explica Garcia. Somente nas duas primeiras áreas, o investimento estimado é de R$ 150 milhões.

No campo da infraestrutura própria do porto, o principal projeto é a modernização e remodelação do Corredor de Exportação Leste, que deve dobrar a capacidade operacional do complexo. “Hoje temos nove terminais, cada um com uma entrada como ponto de descarga. Com essa obra, teremos um novo sistema que irá concentrar tudo em um único ponto. Isso evitará perda de tempo com manobras e diminuirá o conflito com a população urbana”, destaca Garcia. O projeto básico da obra já foi contratado.

Estado perdeu 2 milhões de toneladas de farelo de soja para Santos
Em 2021, também será dada continuidade às obras de dragagem, que possibilitarão o recebimento de navios de maior porte. “Essa dragagem vai fazer com que o porto ganhe um metro, o que representa sete mil toneladas a mais, 10% em um navio de granéis. Estaremos dando condições operacionais para que o mercado entenda Paranaguá e Antonina como atrativos”, explica o diretor-presidente, relatando que no ano passado o Paraná perdeu 2 milhões de farelo de soja para o Porto de Santos porque o terminal paulista se mostrou financeiramente mais atrativo.

Segundo Garcia, os investimentos visam justamente tornar os portos paranaenses mais interessantes e vantajosos para o mercado, tanto do Paraná quanto de estados vizinhos. “Temos grandes cooperativas no estado, reconhecidamente fortes e que estão próximas de nós. Mas se a conta se mostrar cara ou a opção catarinense for mais vantajosa, eles vão migrar para lá. Por isso, nossa preocupação é entregar um porto competitivo. Temos que estar preparados e criar um ambiente favorável a todos os atores envolvidos”, conclui.

 

Fonte: Gazeta do Povo

}

01.26.2021

Em Destaque

Relacionados

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

dez 08 2023

Portos do Paraná participa de missão internacional na busca pela descarbonização dos portos

A empresa pública é signatária do Green Ports Partnership, que busca compartilhar conhecimento sobre sustentabilidade, redução de carbono e...
dez 07 2023

Balança comercial tem superávit recorde de US$ 8,776 bi em novembro

Beneficiada pela queda nas importações de combustíveis e compostos químicos e pela safra recorde de soja, a balança comercial – diferença entre...
dez 06 2023

Porto de Paranaguá é destaque em palestra no Fórum Sul Brasileiro de Inovação

Além de apresentar as ações socioambientais e operacionais, a Portos do Paraná participou do painel sobre destinos turísticos e destacou a vinda da...
dez 05 2023

Brasil poderá integrar grupo de produtores e exportadores de petróleo

O Brasil recebeu o convite para entrar na Organização dos Países Exportadores de Petróleo e Aliados (Opep+), grupo de 23 países produtores e...
dez 04 2023

Em 10 meses, Portos do Paraná registra crescimento de 15% nas movimentações para exportação

Estratégias operacionais foram fundamentais para suprir a grande demanda de mercado e exportar mais de 35 milhões de toneladas pelos portos...
dez 01 2023

MDIC envia missão à Coreia do Sul para fortalecer parceria em comércio e investimentos

Secretário executivo conheceu a nova estratégia digital coreana, projetada como motor do desenvolvimento econômico do país; também houve visitas à...
nov 30 2023

Portos do Paraná é tricampeã em premiação da ANTAQ

Pela terceira vez consecutiva a Portos do Paraná, empresa pública do Governo do Estado do Paraná, foi premiada pelo respeito às regulamentações. A...
nov 29 2023

MDIC e BID promovem encontro para debater melhorias regulatórias

A política de melhoria regulatória simplifica os procedimentos e desburocratiza o ambiente de negócios no país. Nesse sentido, o Ministério do...
nov 28 2023

Porto de Paranaguá embarca peça de autoclave com 15 metros de comprimento

Após dias de operação, a carga foi acondicionada em uma barcaça e agora seguirá até o porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro A Portos do Paraná...
nov 27 2023

Exportações brasileiras superam marca de US$ 300 bi pelo segundo ano

Pelo segundo ano seguido, as exportações brasileiras superaram a marca de US$ 300 bilhões, divulgou nesta segunda-feira (20) o Ministério do...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes