Marcon Logística Portuária

Porto de Paranaguá investe pesado para concorrer com terminais de Santos e SC

Mesmo em meio a uma pandemia que paralisou diversos setores da economia, os portos paranaenses de Paranaguá e Antonina terminaram 2020 com uma marca inédita. Foram 57 milhões de toneladas movimentadas, o maior volume da história. A safra recorde e o câmbio favorável, aliados a outros fatores, foram os principais responsáveis por esse resultado, que abre perspectivas para um 2021 na mesma toada. A ideia é tornar os terminais cada vez mais competitivos, fazendo frente aos portos de Santos (SP), São Francisco do Sul e Itajaí (SC), principais destinos das cargas movimentadas na região.

“Nossa missão é entregar um porto cada vez mais competitivo”, resume Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente da Portos do Paraná, empresa que administra os terminais de Paranaguá e Antonina. Manter ou ampliar a movimentação nesses portos não depende exclusivamente da administração, mas algumas ações fazem a diferença na disputa de um mercado acirrado. A principal aposta são os investimentos em infraestrutura.

Estão previstos para 2021 os leilões de arrendamento de cinco áreas no Porto de Paranaguá. Duas delas já tiveram a consulta aberta, uma para granéis líquidos e outra para carga geral, especialmente açúcar ensacado. Em abril deve ser aberta a consulta para as outras três, voltadas a granéis sólidos. “São áreas já exploradas, mas que, com os arrendamentos, receberão novos e modernos investimentos. Isso potencializa a ocupação dessas áreas, que ganham uma capacidade instalada muito mais adequada do que têm hoje”, explica Garcia. Somente nas duas primeiras áreas, o investimento estimado é de R$ 150 milhões.

No campo da infraestrutura própria do porto, o principal projeto é a modernização e remodelação do Corredor de Exportação Leste, que deve dobrar a capacidade operacional do complexo. “Hoje temos nove terminais, cada um com uma entrada como ponto de descarga. Com essa obra, teremos um novo sistema que irá concentrar tudo em um único ponto. Isso evitará perda de tempo com manobras e diminuirá o conflito com a população urbana”, destaca Garcia. O projeto básico da obra já foi contratado.

Estado perdeu 2 milhões de toneladas de farelo de soja para Santos
Em 2021, também será dada continuidade às obras de dragagem, que possibilitarão o recebimento de navios de maior porte. “Essa dragagem vai fazer com que o porto ganhe um metro, o que representa sete mil toneladas a mais, 10% em um navio de granéis. Estaremos dando condições operacionais para que o mercado entenda Paranaguá e Antonina como atrativos”, explica o diretor-presidente, relatando que no ano passado o Paraná perdeu 2 milhões de farelo de soja para o Porto de Santos porque o terminal paulista se mostrou financeiramente mais atrativo.

Segundo Garcia, os investimentos visam justamente tornar os portos paranaenses mais interessantes e vantajosos para o mercado, tanto do Paraná quanto de estados vizinhos. “Temos grandes cooperativas no estado, reconhecidamente fortes e que estão próximas de nós. Mas se a conta se mostrar cara ou a opção catarinense for mais vantajosa, eles vão migrar para lá. Por isso, nossa preocupação é entregar um porto competitivo. Temos que estar preparados e criar um ambiente favorável a todos os atores envolvidos”, conclui.

 

Fonte: Gazeta do Povo

}

01.26.2021

Em Destaque

Relacionados

Produção nacional de petróleo cresce 3,9% em maio

Em maio deste ano, houve aumento na produção de petróleo e na de gás natural, e também na produção do pré-sal. A produção total (petróleo + gás natural) foi de 4,234 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d). Com relação ao petróleo, foram extraídos 3,318...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

jul 17 2024

Carteira de exportação do BNDES aprova volume 135% maior de créditos em 2024

O valor das aprovações de crédito para a linha BNDES EXIM Pré-Embarque, que financia as exportações de empresas nacionais, cresceu 135% no primeiro...
jul 16 2024

Exportações do Paraná para Ásia, África e Oriente Médio batem recorde no 1º semestre

O Paraná obteve no 1º semestre de 2024 o seu melhor desempenho nas vendas para os mercados do Oriente Médio, África e Sudeste Asiático , com maior...
jul 15 2024

Mercosul e Emirados Árabes Unidos iniciam negociações de um acordo de livre comércio

Representantes dos países membros do Mercosul e dos Emirados Árabes Unidos se reuniram em Assunção, entre os dias 2 e 4 de julho, e formalizaram  o...
jul 12 2024

Receita Federal aprimora Programa OEA-Integrado para facilitar operações internacionais

A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou a Portaria RFB nº 435, de 2 de julho de 2024, que estabelece novas regras para a participação de órgãos e...
jul 11 2024

Brasil e Palestina firmam acordo de livre comércio no âmbito do Mercosul

Em 3 de julho de 2024, o Brasil depositou sua carta de ratificação ao Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e o Estado da Palestina. A carta foi...
jul 10 2024

Exportação de soja do Brasil fecha 1º semestre com alta de 2,2%; milho recua 28%

A exportação de soja do Brasil fechou o primeiro semestre com alta de 2,23% na comparação com o mesmo período do ano passado, para 64,15 milhões de...
jul 09 2024

Produção nacional de petróleo cresce 3,9% em maio

Em maio deste ano, houve aumento na produção de petróleo e na de gás natural, e também na produção do pré-sal. A produção total (petróleo + gás...
jul 08 2024

16,8 milhões de toneladas foram exportadas pelos portos do Paraná entre janeiro e maio

A exportação nos portos paranaenses cresceu 4% este ano em relação ao mesmo período do ano anterior, movimentando 16.861.765 toneladas, 715.435 a...
jul 05 2024

Banco Central eleva estimativa do PIB para 2,3% neste ano

O Banco Central (BC) elevou a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, de 1,9% para 2,3%, segundo o relatório de inflação...
jul 04 2024

Colheita do milho da segunda safra paranaense alcança 42% da área

A colheita da segunda safra de milho 2023/24 avançou na última semana, chegando a 42% da área estimada em 2,42 milhões de hectares. Mas a Previsão...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes