Marcon Logística Portuária

Porto de Paranaguá e Nova Ferroeste são destaque em feira

O cenário promissor do agronegócio brasileiro nos próximos anos aponta para o crescimento contínuo na produção de proteína animal e na colheita de safras recorde. Para acompanhar esse salto de produtividade da porteira para dentro, a infraestrutura logística nacional precisa avançar a passos largos. Essa foi uma das principais questões trazidas na apresentação do projeto da Nova Ferroeste realizada nesta quarta-feira (01) na NT Expo-Negócios nos Trilhos, que acontece até esta quinta, em São Paulo. É a maior feira metroferoviária da América latina.

No painel Nova Ferroeste – A nova rede que pode mudar a logística do Sul da América, o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes discorreu sobre a necessidade de diversificar as matrizes logísticas no País e a importância do modal ferroviário nesse processo, em especial para o Porto de Paranaguá, onde a participação do transporte ferroviário pode passar dos atuais 20% para até 60%.

Projeto do Governo do Paraná, a Nova Ferroeste vai ampliar a atual Ferroeste, que opera no trecho entre Cascavel e Guarapuava, no Paraná. A malha será estendida nas duas pontas e ligará Maracaju, no Mato Grosso do Sul, a Paranaguá, no Litoral do Paraná. Ainda estão previstos dois ramais a partir de Cascavel para conectar por trilhos Chapecó, em Santa Catarina, e Foz do Iguaçu, na tríplice fronteira. A extensão total será de 1.567 quilômetros, com influência nos três estados contidos no traçado, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e parte da Argentina e do Paraguai.

“A Nova Ferroeste vai viabilizar a transformação o Estado em uma grande central logística e conectar o segundo maior porto em movimentação e mais eficiente do Brasil com uma ferrovia, um modal realmente competitivo que vai suportar o crescimento do Paraná, de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Paraguai e Argentina nas próximas décadas”, disse Fagundes.

“Essa malha ferroviária é de extrema importância. Toda infraestrutura gera um aumento de Produto Interno Bruto local e nacional, além de gerar empregos”, disse Vicente Abate, presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), que participou do painel, junto com Luiz Henrique Fagundes e o diretor de Desenvolvimento Empresarial da Portos do Paraná, André Luiz Pioli.

O Brasil é hoje o maior produtor de soja do mundo: colhe em média 122 milhões toneladas ao ano. O Paraguai ocupa a sexta posição, com safra anual de 11 milhões de toneladas. Por não ter acesso ao mar, quase toda a exportação paraguaia é escoada por Paranaguá. No cenário nacional, Paraná e Santa Catarina exportam juntos 70% da carne de frango e 71% da carne suína do País. A maior parte dessa carga viaja atualmente na carroceria dos caminhões e estrangula o trânsito diante da crescente demanda gerada pela produção.

A Nova Ferroeste surge como uma peça fundamental para manter o ritmo do desenvolvimento econômico da região Sul e parte do Centro-Oeste, se tornando o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres refrigerados do Brasil. De acordo com o Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA), se a ferrovia existisse hoje, passariam pelos trilhos 38 milhões de ton/ano, sendo que deste total 26 milhões ton/ano seguiriam com destino ao Porto de Paranaguá.

PORTO DE PARANAGUÁ – Atualmente 20% da carga que acessa o porto chega de trem. Em 2021 a movimentação total (caminhão e trem) foi de 60 milhões ton/ano. Em 2030 a estimativa é 100 milhões de ton/ano. O diretor de Desenvolvimento Empresarial da Portos do Paraná, André Pioli, considera essencial a execução do projeto da Nova Ferroeste como indutor do desenvolvimento econômico nacional e até de países vizinhos.

“O Porto de Paranaguá está se preparando para o surgimento da Nova Ferroeste. A agricultura e da indústria do Paraná tendem a duplicar em poucos anos, impondo essa exigência”, apontou o diretor.

Uma das principais obras voltadas a atender à demanda futura do modal ferroviário é o chamado Moegão, um investimento de R$ 592 milhões, feito com recurso próprio da Portos do Paraná. “Ele contempla todas as interseções dentro da cidade de Paranaguá, que diminuirão de 16 para apenas cinco. Contempla, também, a construção da chamada pêra ferroviária, que fará com que até 180 composições de trem possam chegar e descarregar com agilidade”, completou.

 

Fonte: Portos do Paraná

}

03.08.2023

Em Destaque

Relacionados

MDIC lança manual sobre Regras de Origem para importações

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex-MDIC) lançou na terça-feira (14/5) um manual sobre Regras de Origens aplicadas a produtos importados. Trata-se de uma ferramenta abrangente e de fácil acesso,...

ANTAQ visita os portos de Paranaguá e Antonina

A Portos do Paraná recebeu a visita da comitiva da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (ANTAQ), nesta terça-feira (07). Os diretores, Alber Furtado de Vasconcelos Neto e Caio César Farias Leôncio, e o chefe da unidade regional de Curitiba, Thiago Fernando...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

maio 23 2024

Agronegócio bate recorde de exportações em abril, com US$ 15,24 bilhões

Com valor recorde, as vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15,24 bilhões em abril de 2024, um valor 3,9% superior na...
maio 22 2024

MDIC lança manual sobre Regras de Origem para importações

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex-MDIC) lançou na terça-feira (14/5) um...
maio 21 2024

Sem impacto do RS, Conab reduz projeção para safra de grãos 2023/24

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reduziu novamente a estimativa para a produção brasileira total de grãos na safra de 2023/2024, que...
maio 20 2024

Balança comercial brasileira registra superávit de US$ 3,2 bi nas primeiras semanas de maio

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,205 bilhões nas duas primeiras semanas de maio, período com sete dias úteis. O valor...
maio 17 2024

Lula quer desdolarização proposta pela China, mas comércio exterior do Brasil é dominado pelo dólar

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está engajado nas tratativas do Brics (bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul)...
maio 16 2024

Governo Federal publica medida que autoriza importação de arroz

Para o enfrentamento das consequências sociais e econômicas decorrentes das enchentes no estado do Rio Grande do Sul, o Governo Federal publicou...
maio 15 2024

Com US$ 7,47 bilhões, Paraná bate recorde de exportações para um 1º quadrimestre

As exportações do Paraná no primeiro quadrimestre de 2024 bateram recorde para o período, somando US$ 7,47 bilhões. Melhor resultado da série...
maio 14 2024

Balança comercial tem superávit de US$ 9,041 bilhões em abril

Apesar da queda de preços da soja, do ferro e do petróleo, o superávit da balança comercial subiu em abril. No mês passado, o país exportou US$...
maio 13 2024

ANTAQ visita os portos de Paranaguá e Antonina

A Portos do Paraná recebeu a visita da comitiva da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (ANTAQ), nesta terça-feira (07). Os diretores, Alber...
maio 10 2024

Brasil foi 2º principal destino de investimento estrangeiro em 2023, diz OCDE

Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recém-divulgado revela que o Brasil foi o segundo principal destino de...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes