O início da vacinação contra a Covid-19 aconteceu em Paranaguá na terça-feira, 19, e a imunização de idosos residentes e colaboradores de asilos, profissionais de saúde e indígenas aldeados já está em andamento, com equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) indo
ao encontro das pessoas que devem ser imunizadas. A expectativa para as próximas semanas e meses é como será a logística de vacinação de outras pessoas prioritárias, bem como de toda a população, algo que foi esclarecido pelo prefeito Marcelo Roque.

De acordo com o prefeito, a atuação mesclará um ponto central de imunização e descentralização utilizando a estrutura já existente do Sistema Único de Saúde (SUS), que já realizou diversas campanhas de vacinação em Paranaguá. “Que a gente possa durante este ano imunizar 100% da nossa população e poder voltar à vida normal”, salienta.

“Tínhamos a intenção de utilizar a Arena Albertina Salmon, mas ela está sendo utilizada como centro de referência para a Covid-19. Chegaram cerca de 1.800 vacinas, priorizamos neste primeiro momento indígenas, idosos e profissionais de saúde. A primeira dose recebida de 1.800 não irá suprir tudo isso ainda, vamos esperar que venham mais até o final de janeiro e início de fevereiro, para que possamos imunizar mais pessoas do grupo prioritário”, explica.

Segundo Marcelo Roque, será disponibilizada uma área ampla do município para vacinação contra a Covid-19 da população quando chegar um número maior de doses e a campanha for ampliada. “Que a gente possa também fazer um drive thru, que é importante para agilizar. Mas o SUS brasileiro no mundo é conhecido como um dos melhores em termos de vacinação. Temos estrutura e agilidade e aqui em Paranaguá não é diferente, temos todos os profissionais já engajados para que se faça esta imunização rapidamente, isso não vai ser um problema para o nosso município”, relata.

“Quando a gente faz uma campanha de vacinação da Influenza ou da dengue, por exemplo, utilizamos vários locais da nossa cidade, até supermercados, área privada, shoppings. O que for preciso nós vamos fazer. Se vier uma grande demanda de vacinas para o nosso município, tenho certeza de que vacinaremos rapidamente a nossa população”, finaliza o prefeito.

 

Fonte: Folha do Litoral