Marcon Logística Portuária

O que diz a radiografia das empresas exportadoras do Brasil

Entender a dinâmica das firmas exportadoras é fundamental para que possamos estimular nossa participação no comércio exterior.

Quais são as empresas brasileiras que exportam? Para que países vendem? O que determina a escolha dos mercados a serem explorados? Depois de começarem a exportar, elas conseguem se
manter no mercado externo? Para obter respostas a essas e a outras perguntas, o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços) realizou uma radiografia inédita sobre as
empresas exportadoras brasileiras.

O levantamento identificou que somente 1% das firmas brasileiras vendem para o exterior —ou seja, são apenas cerca de 25 mil firmas as que têm acesso ao mercado externo.

Chamou a atenção o fato de que 61% dessas empresas realizam negócios na América Latina, o que reforça a importância da integração regional. Além das vantagens da proximidade geográfica e cultural, os produtos brasileiros encontram tarifas mais baixas na região, fruto de acordos comerciais.

De fato, as tarifas médias impostas pelos parceiros comerciais do Brasil figuram como um fator relevante para empresas exportadoras definirem o destino de suas mercadorias. Ou seja, os dados confirmam que mercados que aplicam tarifas de importação elevadas têm chances menores de serem explorados.

Por outro lado, identificamos que, na definição dos seus países alvo, as empresas exportadoras têm passado a dar mais atenção ao tamanho do mercado consumidor. De 2018 a 2020, aumentou em 24% o número de empresas exportando para a China. Para os EUA, o crescimento foi de 21%. Para a União Europeia, de 16%. Por outro lado, o número de firmas exportando para o Mercosul cresceu apenas 2%.

Salvo honrosas exceções, ainda é tímida a atuação externa das empresas brasileiras.

A probabilidade média de uma firma começar a exportar desde sua abertura até dez anos de funcionamento é de apenas 1%. Para a indústria de transformação, a chance aumenta para 4%. Empresas maiores, com mais de 250 empregados, têm probabilidade de 22% de conquistar o mercado externo em sua primeira década de existência.

Entre as empresas que conseguem vender para outros países, a chance de seguir exportando após o primeiro ano de vendas externas é de aproximadamente 65%. O estudo também revelou que a maior parte das empresas exporta de maneira esporádica. Períodos de exportações ininterruptos possuem duração mediana de três anos. Manter as empresas no mercado externo é um desafio importante.

Nosso levantamento ainda constatou que empresas exportadoras, em média, pagam salários maiores, contratam mais e empregam uma proporção maior de trabalhadores com ensino superior em comparação com as empresas não-exportadoras.

O prêmio salarial pago pelas empresas exportadoras em relação às não-exportadoras varia de 36% a 124%, dependendo do setor de atividade da empresa.

 

Fonte: Folha de São Paulo

}

06.28.2023

Em Destaque

Relacionados

Meganavio faz única escala no Porto de Paranaguá

O Porto de Paranaguá recebeu nesta quarta-feira (07) o meganavio MSC Elisa XIII, do armador Mediterranean Shipping Company (MSC) que fez uma escala única no Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). Além do comprimento do MSC Elisa XIII ser 12 vezes maior que o...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

fev 22 2024

Paraná é o terceiro estado que mais exporta carne de peru, aponta boletim do Deral

As exportações nacionais de carne de peru alcançaram 69.644 toneladas em 2023 e geraram receita de aproximadamente US$ 200,568 milhões. O Paraná é o...
fev 21 2024

Comércio Brasil-China inicia 2024 com fortes altas nas exportações e importações

O comércio entre o Brasil e a China teve um início de ano marcado pelo expressivo aumento de 53,7% nas exportações brasileiras, que somaram US$...
fev 20 2024

Brasil e Egito fortalecem relações comerciais para exportação de carnes com facilitações

Com a confirmação da missão do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao Egito nesta semana, o Ministério da Agricultura e Pecuária do...
fev 19 2024

Importação cresce ao maior patamar em 20 anos e indústria corre ao governo por proteção comercial

As importações alcançaram participação inédita no mercado da indústria em, pelo menos, 20 anos e provocaram uma corrida das empresas ao governo por...
fev 16 2024

Com alta da soja, Paraná registra maior volume de exportações para janeiro da história

Com US$ 1,82 bilhão em receitas obtidas com vendas para o mercado internacional em janeiro, o Paraná registrou em 2024 o maio volume de exportações...
fev 15 2024

Conab: colheita de grãos da safra 23/24 será menor do que o estimado

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a colheita de grãos na safra 2023/2024 será 6% inferior ao volume colhido no período...
fev 14 2024

Portos do Paraná ultrapassa 65 milhões de toneladas movimentadas em 2023

A Portos do Paraná bateu um novo recorde de movimentação no ano de 2023, ultrapassando a marca de 65 milhões de toneladas. O anúncio do recorde...
fev 13 2024

Balança comercial tem superávit de US$ 6,527 bilhões em janeiro

Beneficiada pela queda nas importações de combustíveis, compostos químicos e pela safra recorde de soja e de café, a balança comercial – diferença...
fev 12 2024

Meganavio faz única escala no Porto de Paranaguá

O Porto de Paranaguá recebeu nesta quarta-feira (07) o meganavio MSC Elisa XIII, do armador Mediterranean Shipping Company (MSC) que fez uma escala...
fev 09 2024

Empresas apoiadas pela ApexBrasil exportaram US$ 140,7 bilhões em 2023

O ano de 2023 foi de recordes históricos para o comércio exterior brasileiro e para a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes