Marcon Logística Portuária

O Brasil estaria trocando o Mercosul (Argentina) pelos BRICS (Índia)?

Desde a eleição de Alberto Fernandez na Argentina, as relações bilaterais do Brasil com o país vizinho tem se deteriorado. Mesmo com a aproximação das nações em 2019, por motivo do acordo Mercosul e União Europeia, parece que o divórcio entre os países não está longe de acontecer. É o que justifica o secretário especial do Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, que em entrevista recente à agência Bloomberg declarou que “todos os sinais da Argentina são ruins”.

Enquanto a relação fica complexa, o presidente Bolsonaro já está de olho em outro gigante global. É a Índia, país que o presidente deve visitar na próxima semana à procura de uma aproximação comercial. A expectativa segundo o Ministério de Economia é aumentar o comércio com a Índia de US$ 7 bilhões para US$ 25 bilhões.

A Índia experimentou um crescimento de 7% na última década e de acordo com especialistas o gigante pode ultrapassar a China, nosso principal parceiro comercial, nos próximos 10 anos.

Para Demetrius Cesário, professor de Relações Internacionais da ESPM, a mudança da Argentina para um governo de esquerda reforçou o distanciamento com o Brasil, no entanto, ele destaca que não é o governo quem faz comércio e sim a sociedade civil e as empresas, por este motivo cabe ao setor empresarial as decisões estratégicas na pauta exportadora.

Sobre a Índia, Cesário defende que o país se tornou importante para o Brasil há alguns anos, por exemplo nos BRICS, bloco do qual ambas as nações fazem parte. “Temos duas economias interessantes e em desenvolvimento, dois países democráticos, isso é muito bom. Ainda não sabemos se a Índia pode superar a China economicamente, mas temos certeza que em alguns anos em termos populacionais Índia será maior que o parceiro asiático”, explica.

Segundo dados da Associação Latino-Americana de Integração (ALADI), a Argentina é o nosso quarto parceiro comercial de exportação, já a Índia está na posição 16.  Para quadruplicar o comércio, como pretende Bolsonaro muitos esforços seriam necessários. Contudo, Cesário garante que não está na Índia nem na Argentina a prioridade de política externa do governo brasileiro. “Desde o começo do mandato Bolsonaro ficou bem claro que o objetivo do Brasil é se juntar a países ricos e não aos em desenvolvimento. Então as prioridades ainda são EUA, Europa, Israel, e Japão”, conclui. E acrescenta que mesmo com o distanciamento da Argentina, ainda há chances para o Brasil negociar livremente com Europa “O Mercosul pode deixar de ser uma união aduaneira e se tornar uma área de livre comércio, esta seria a oportunidade perfeita para o Brasil negociar sozinho com a União Europeia”.

Fonte: Isto É Dinheiro

}

01.23.2020

Em Destaque

Relacionados

O futuro da reforma tributária nas importações e exportações

A tão comentada reforma tributária tem como principal premissa simplificar a cobrança de impostos no Brasil. A proposta está prestes a entrar em sua primeira fase e terá sua implementação conduzida de forma gradual, mas já vem ganhando diversas abordagens sobre seus...

Brasil fecha novas vendas para Austrália e Costa Rica

O Ministério da Agricultura e Pecuária informou que o governo da Austrália aprovou a importação de pescados do Brasil, enquanto o governo da Costa Rica aprovou o ingresso de produtos à base de células-tronco mesenquimais (cães, gatos e equinos) com fins terapêuticos....

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

mar 01 2024

Stand da Portos do Paraná na 28ª edição da Intermodal South America terá alta tecnologia

A Portos do Paraná, empresa pública que administra os portos de Paranaguá e Antonina, oferecerá uma ampla estrutura para os visitantes da 28ª edição...
fev 29 2024

O futuro da reforma tributária nas importações e exportações

A tão comentada reforma tributária tem como principal premissa simplificar a cobrança de impostos no Brasil. A proposta está prestes a entrar em sua...
fev 28 2024

Brasil fecha novas vendas para Austrália e Costa Rica

O Ministério da Agricultura e Pecuária informou que o governo da Austrália aprovou a importação de pescados do Brasil, enquanto o governo da Costa...
fev 27 2024

Colheita atípica em janeiro no Paraná levou a aumento de 282% nas exportações de soja

A acelerada colheita de soja em janeiro deste ano, o que não é comum para o período, levou a um aumento expressivo no volume de produtos do complexo...
fev 26 2024

ESG e sustentabilidade são os focos da Portos do Paraná na 28ª Intermodal

A busca por uma agenda sustentável também inclui ações no próprio stand do evento Entre os dias 05 e 07 de março, a Portos do Paraná irá participar...
fev 23 2024

Balança comercial tem saldo positivo de US$ 1,996 bi até a segunda semana de fevereiro

Na 2ª semana de fevereiro de 2024, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,78 bilhão e corrente de comércio de US$ 10,915 bilhões,...
fev 22 2024

Paraná é o terceiro estado que mais exporta carne de peru, aponta boletim do Deral

As exportações nacionais de carne de peru alcançaram 69.644 toneladas em 2023 e geraram receita de aproximadamente US$ 200,568 milhões. O Paraná é o...
fev 21 2024

Comércio Brasil-China inicia 2024 com fortes altas nas exportações e importações

O comércio entre o Brasil e a China teve um início de ano marcado pelo expressivo aumento de 53,7% nas exportações brasileiras, que somaram US$...
fev 20 2024

Brasil e Egito fortalecem relações comerciais para exportação de carnes com facilitações

Com a confirmação da missão do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao Egito nesta semana, o Ministério da Agricultura e Pecuária do...
fev 19 2024

Importação cresce ao maior patamar em 20 anos e indústria corre ao governo por proteção comercial

As importações alcançaram participação inédita no mercado da indústria em, pelo menos, 20 anos e provocaram uma corrida das empresas ao governo por...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes