Marcon Logística Portuária

Mercosul e Canadá retomam negociações para acordo de livre comércio

O Mercosul e o Canadá vão retomar negociações para um acordo de livre comércio. As conversas estavam paradas desde o início da pandemia.

Na primeira semana de maio, uma equipe de negociadores canadenses virá a Brasília para a primeira rodada de discussões em mais de três anos.O grupo formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai vinha negociando com o Canadá desde 2018. As tratativas evoluíam bem e havia interesse do setor privado em um acordo, mas a pandemia congelou tudo.

Segundo relatos feitos à CNN por funcionários do governo brasileiro envolvidos nas discussões, a expectativa é de que um tratado de livre comércio possa ser concluído logo –em questão de meses, e não de anos.

A ideia é ter um acordo moderno e abrangente, contemplando não apenas a eliminação de tarifas sobre bens industriais e agrícolas, mas áreas como serviços, investimentos, medidas sanitárias e fitossanitárias, propriedade intelectual e compras governamentais, entre outras.

O Brasil exportou US$ 5,4 bilhões ao Canadá e importou US$ 5,2 bilhões do país no ano passado. Os principais produtos exportados foram ouro, alumínio, semimanufaturados de ferro e aço, açúcar, café e aviões da Embraer.

Os principais produtos importados incluem cloreto de potássio para uso como fertilizantes, produtos químicos, medicamentos, aviões da Bombardier, máquinas e equipamentos.

Diferentemente de várias outras negociações de livre comércio, o acordo Mercosul-Canadá não provoca tanta resistência entre empresários dos dois lados. As duas economias são consideradas, em muitos sentidos, complementares entre si.

Reservadamente, o governo brasileiro acredita que um tratado com o Canadá pode mandar duas sinalizações importantes. Uma para o mundo: a de que o Mercosul é, sim, capaz de concluir acordos comerciais de peso.

Hoje o bloco tem poucos tratados em vigência fora da própria América do Sul. O Uruguai pressiona por mais abertura comercial e por uma aceleração dos acordos. Ameaça, inclusive, negociar diretamente com a China –mesmo sem Brasil, Argentina e Paraguai.

Outro recado seria para a União Europeia: o de que, se Bruxelas não se mexer, ficará para trás no mercado sul-americano. Mercosul e UE concluíram as negociações em 2019, mas os europeus apontaram a alta do desmatamento na Amazônia e incertezas sobre as políticas ambientais no Brasil como justificativa para não assinar e nem ratificar o acordo fechado.

No ano passado, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) fez uma simulação dos impactos de um eventual acordo com o Canadá. Os resultados indicam que, em um período de 20 anos, o acordo poderá representar aumento de R$ 33,4 bilhões no PIB brasileiro –na comparação com um cenário sem o tratado.

De acordo com o estudo, haveria expansão de R$ 17,1 bilhões nos investimentos, além de redução geral do nível de preços ao consumidor e aumento do salário real no Brasil. Setores como vestuário, produtos farmacêuticos, equipamentos eletrônicos, produtos de couro e calçados podem estar entre os maiores beneficiados nas exportações ao Canadá.

Na reunião de maio, um dos primeiros desafios impostos aos negociadores será decidir se as tratativas continuam nas mesmas bases do passado ou se haverá uma redefinição do escopo das discussões. A partir daí, espera-se definir também um cronograma para os passos seguintes.

Além do Canadá, o Mercosul tem na mira negociações com países da América Central, Indonésia e Vietnã. No caso da UE, os dois blocos discutem a possibilidade de incluir uma declaração adicional sobre meio ambiente ao acordo fechado em 2019.

Também fechados, mas pendentes de assinatura efetiva e do processo de ratificação, estão os acordos do Mercosul com Cingapura e com o EFTA. Esse último é um bloco formado por países europeus que não formam parte da UE –Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.

Um estudo do Banco Mundial, divulgado nesta semana, mostra que o Mercosul não só tem poucos acordos comerciais, mas com baixa profundidade –medida pelo número de áreas cobertas por esses tratados.

Na América Latina, México e Peru firmaram os acordos com maior número de áreas cobertas (18), seguidos por Colômbia (17) e Chile (15). Os países do Mercosul assinaram tratados que cobrem, em média, apenas seis áreas.

 

Fonte: CNN

}

04.14.2023

Em Destaque

Relacionados

Agronegócio exporta US$ 15,20 bi em junho e US$ 82,39 bi no semestre

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15, 20 bilhões em junho de 2024 , um aumento do valor das exportações comparado ao mês de maio/2024 , que atingiu 15,02 bilhões. As exportações brasileiras de grãos subiram de 14,96 milhões de...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

jul 23 2024

Operações de Sucesso: Marcon Logística Portuária em Destaque

No último final de semana, a Marcon Logística Portuária mostrou mais uma vez sua eficiência e capacidade ao conduzir operações em dois navios RORO...
jul 23 2024

Agronegócio exporta US$ 15,20 bi em junho e US$ 82,39 bi no semestre

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15, 20 bilhões em junho de 2024 , um aumento do valor das exportações...
jul 22 2024

Portos do Paraná registram recorde histórico de movimentação mensal

Os portos paranaenses alcançaram uma nova marca histórica de movimentação. Ao todo, 6.582.670 de toneladas foram movimentadas em junho deste ano,...
jul 19 2024

Abertura do mercado cubano para exportação de quatro produtos do agronegócio brasileiro

O governo brasileiro recebeu com satisfação o anúncio, pelo governo de Cuba, da autorização para que o Brasil exporte os seguintes produtos para...
jul 18 2024

Camex mantém elevação de tarifas de importação de resíduos sólidos

Em 18% desde julho do ano passado, as tarifas de importação para resíduos de papel, plástico e vidro permanecerão nesse nível por mais um ano,...
jul 17 2024

Carteira de exportação do BNDES aprova volume 135% maior de créditos em 2024

O valor das aprovações de crédito para a linha BNDES EXIM Pré-Embarque, que financia as exportações de empresas nacionais, cresceu 135% no primeiro...
jul 16 2024

Exportações do Paraná para Ásia, África e Oriente Médio batem recorde no 1º semestre

O Paraná obteve no 1º semestre de 2024 o seu melhor desempenho nas vendas para os mercados do Oriente Médio, África e Sudeste Asiático , com maior...
jul 15 2024

Mercosul e Emirados Árabes Unidos iniciam negociações de um acordo de livre comércio

Representantes dos países membros do Mercosul e dos Emirados Árabes Unidos se reuniram em Assunção, entre os dias 2 e 4 de julho, e formalizaram  o...
jul 12 2024

Receita Federal aprimora Programa OEA-Integrado para facilitar operações internacionais

A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou a Portaria RFB nº 435, de 2 de julho de 2024, que estabelece novas regras para a participação de órgãos e...
jul 11 2024

Brasil e Palestina firmam acordo de livre comércio no âmbito do Mercosul

Em 3 de julho de 2024, o Brasil depositou sua carta de ratificação ao Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e o Estado da Palestina. A carta foi...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes