Marcon Logística Portuária

Em Guarapuava, Governo e Sindusmadeira avaliam impacto da Nova Ferroeste para o setor

A Nova Ferroeste deverá potencializar os diversos setores dos municípios abrangidos pelo empreendimento, com redução do tempo e do custo do transporte de cargas até o Porto de Paranaguá. Essa é a expectativa de empresários do setor madeireiro da região de Guarapuava (centro do Paraná), manifestada em reunião com representantes do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário, realizada nesta quinta-feira (18).

O encontro presencial foi na sede Sindusmadeira – Sindicato das Indústrias de Madeiras, Serrarias, Beneficiamentos, Carpintaria e Marcenaria, Tanoaria, Compensados e Laminados, Aglomerados e Embalagens de Guarapuava. A entidade representa 41 empresas de 20 municípios. Na reunião eles tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e fazer considerações a respeito do projeto da ferrovia, que vai consolidar um dos maiores corredores de movimentação de cargas do país.

Projeto do Governo do Paraná, a Nova Ferroeste vai ligar Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá. Ele prevê a ampliação e modernização do trecho já existente, entre Cascavel e Guarapuava, além de novos ramais até o MS e Foz do Iguaçu.

O coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes, lembrou que apenas 20% das cargas gerais exportadas do Paraná chegam aos portos por trem, e que a Nova Ferroeste deve fazer esse número saltar para 60%. Segundo ele, a indústria madeireira da região de Guarapuava deve ser muito beneficiada, já que quase toda a carga de exportação desse setor é atualmente levada até o porto por caminhões.

“Temos um porto que é referência no continente, tanto em importação quanto exportação, mas é preciso otimizar a chegada e saída dos produtos”, disse Fagundes. “O modal rodoviário já está no limite e o desenvolvimento da malha ferroviária é o que vai fazer a logística do Paraná dar um salto em agilidade e na relação custo x benefício”.

O vice-presidente do Sindusmadeira, Júlio Cezar Pacheco Agner, lembrou que mais de 50% do que é produzido pelo setor madeireiro da região é voltado à exportação. “Quase tudo é deslocado pelas rodovias, com alto custo de frete e questões da agilidade da logística, que interferem na competitividade em um mercado cada vez mais globalizado”, relatou.

Ele afirmou que a expectativa é que, com mais opções de deslocamento de madeira em contêineres, o custo possa ser reduzido e a lucratividade elevada. “Isso gerará ganhos para o produtor e para a indústria e, também, para outros setores que formam a cadeia produtiva da nossa região, como a agropecuária, por exemplo”, avaliou Agner.

AMPLIAÇÃO – Conforme dados do Sindusmadeira, o setor representa cerca de 35% do volume de cargas movimentadas nos portos do Sul do Brasil. Por isso, a oportunidade de ampliar as possibilidades de deslocamento até o porto é vista como um avanço importante para o setor.

O diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves, destacou que o avanço do projeto tem acontecido dentro do cronograma, e que as reuniões têm sido muito produtivas para apresentar os detalhes da Nova Ferroeste.

“O projeto já recebeu a anuência de todos os 49 municípios abrangidos. Guarapuava é um deles”, afirmou. “Guarapuava já tem uma estrutura da Ferroeste, com oficina mecânica e funcionários. É uma conexão importante e nossos estudos de demanda apontam que há viabilidade para trabalhar o transporte de cargas saindo do município rumo ao Porto de Paranaguá”.

PROJETO – A Nova Ferroeste terá 1.304 quilômetros malha férrea, abrangendo a ligação entre Maracaju a Paranaguá e o ramal de Foz do Iguaçu. Os trilhos cortam dois estados com grande produtividade de grãos (soja e milho) e proteína animal. Quando estiver concluída, a Nova Ferroeste, deve transportar no primeiro ano 38 milhões de toneladas de produtos. Será o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres do País.

O investimento para a construção e operação da Nova Ferroeste será de R$ 29,4 bilhões. No início de 2022 serão realizadas as audiências públicas e o projeto deve ir a leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) no segundo trimestre de 2022. A empresa, ou consórcio vencedor do leilão, deverá construir e explorar a estrada de ferro por 70 anos.

 

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

}

11.25.2021

Em Destaque

Relacionados

MDIC lança manual sobre Regras de Origem para importações

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex-MDIC) lançou na terça-feira (14/5) um manual sobre Regras de Origens aplicadas a produtos importados. Trata-se de uma ferramenta abrangente e de fácil acesso,...

ANTAQ visita os portos de Paranaguá e Antonina

A Portos do Paraná recebeu a visita da comitiva da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (ANTAQ), nesta terça-feira (07). Os diretores, Alber Furtado de Vasconcelos Neto e Caio César Farias Leôncio, e o chefe da unidade regional de Curitiba, Thiago Fernando...

Quer saber mais?

Entre em Contato

Siga a Marcon

Mercado & Novidades

Últimas Notícias

maio 23 2024

Agronegócio bate recorde de exportações em abril, com US$ 15,24 bilhões

Com valor recorde, as vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15,24 bilhões em abril de 2024, um valor 3,9% superior na...
maio 22 2024

MDIC lança manual sobre Regras de Origem para importações

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex-MDIC) lançou na terça-feira (14/5) um...
maio 21 2024

Sem impacto do RS, Conab reduz projeção para safra de grãos 2023/24

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reduziu novamente a estimativa para a produção brasileira total de grãos na safra de 2023/2024, que...
maio 20 2024

Balança comercial brasileira registra superávit de US$ 3,2 bi nas primeiras semanas de maio

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,205 bilhões nas duas primeiras semanas de maio, período com sete dias úteis. O valor...
maio 17 2024

Lula quer desdolarização proposta pela China, mas comércio exterior do Brasil é dominado pelo dólar

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está engajado nas tratativas do Brics (bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul)...
maio 16 2024

Governo Federal publica medida que autoriza importação de arroz

Para o enfrentamento das consequências sociais e econômicas decorrentes das enchentes no estado do Rio Grande do Sul, o Governo Federal publicou...
maio 15 2024

Com US$ 7,47 bilhões, Paraná bate recorde de exportações para um 1º quadrimestre

As exportações do Paraná no primeiro quadrimestre de 2024 bateram recorde para o período, somando US$ 7,47 bilhões. Melhor resultado da série...
maio 14 2024

Balança comercial tem superávit de US$ 9,041 bilhões em abril

Apesar da queda de preços da soja, do ferro e do petróleo, o superávit da balança comercial subiu em abril. No mês passado, o país exportou US$...
maio 13 2024

ANTAQ visita os portos de Paranaguá e Antonina

A Portos do Paraná recebeu a visita da comitiva da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (ANTAQ), nesta terça-feira (07). Os diretores, Alber...
maio 10 2024

Brasil foi 2º principal destino de investimento estrangeiro em 2023, diz OCDE

Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recém-divulgado revela que o Brasil foi o segundo principal destino de...

Quem acredita na Marcon

Nossos Clientes