O secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, disse que os investimentos fazem parte da meta de modernizar cada vez mais os Portos do Paraná.

– Temos investido fortemente em Paranaguá e Antonina para tornar nossos portos mais eficientes – afirmou.

Ele lembrou que os investimentos aplicados no Porto são oriundos de receitas tarifárias que a Appa arrecada e reinveste na estrutura portuária.

Investimentos

Entre os investimentos está a contratação de empresa especializada para a elaboração do Estudo de Impacto Ambiental necessário para a ampliação. O governador também liberou a licitação dos serviços de manutenção preventiva e corretiva das 121 defensas atuais, além da instalação de 91 novas defensas.

As defensas são equipamentos constituídos de grandes peças de borracha e placas. Elas servem para auxiliar a atracação de navios com maior segurança, estabilizando a embarcação na hora de encostar no cais. O serviço será feito em todo o cais comercial e no píer de produtos inflamáveis. O investimento será de R$ 15,5 milhões.

Foi liberado o processo de licitação para contratação de uma empresa que fará a manutenção contínua dos sinais náuticos, como boias para orientação de manobras das embarcações, e sinalização do trajeto do canal que dá acesso ao porto.

– As novas defensas e a manutenção das boias devem atrair ainda mais navios para os portos paranaenses, pois trazem mais segurança às operações – explicou o diretor presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

Além dos investimentos em estudos ambientais, obras na faixa portuária e no mar, o governador também autorizou a contratação de uma empresa para concluir as reformas de duas portarias que dão acesso ao cais. A licitação também prevê que a empresa seja responsável pelos estudos de viabilidade técnica e financeira da obra.

Melhora

As obras para manutenção, ampliação e melhorias no Porto de Paranaguá fazem parte de uma série de investimentos feitos nos dois portos paranaenses nos últimos quatro anos. O montante chega a R$ 511 milhões, só com recursos públicos.

São três campanhas de dragagem, que restabeleceram a profundidade original do canal da Galheta, berços de atracação e acesso ao porto de Antonina. Também foram adquiridos quatro novos shiploaders (carregadores de navios), que garantirão um aumento de 30% na produtividade nas operações do corredor de exportação.

Foram feitas compras de novas boias de sinalização marítima, recuperação do pavimento das vias de acesso urbanas ao porto e ajustes e melhorias no sistema Carga online, que acabaram de vez com as filas de caminhões.

Fonte: Canal Rural