O carregamento de peças que serão utilizadas na ampliação do Projeto Puma II da Klabin, em Curitiba, chegou no último mês de maio o Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR). Por falta de pagamento da Kerui Método, equipamentos do Comperj ficam parados no Porto do Rio.

A empresa de logística responsável pela operação, que incluiu a descarga, o transporte e a armazenagem das peças, foi a TCP Log, subsidiária logística da TCP, empresa que administra o Terminal.

O processo teve duração de aproximadamente 13 horas. Foram 22 peças com pesos que variam entre 2.600 a 22.500 quilos.

Durante a operação de transbordo do navio para o cais, foram aplicados os guindastes de bordo e equipamentos próprios da TCP: dois guindastes MHC com capacidade de 100 toneladas e dois reach stackers.

Já o transporte até o armazém foi realizado com carretas especiais, da frota própria do terminal, que têm capacidade para transportar cargas com excesso de dimensão e peso acima de 90 toneladas.

“A TCP Log fez todo o planejamento prévio, desenhando e simulando toda a operação para que não houvesse nenhum imprevisto. Além do nosso planejamento rigoroso, seguimos service level agreements (SLAs) que são previamente alinhados caso a caso e, ao final de cada execução, comprovamos nossa eficiência por meio dos indicadores”, explica o vice-diretor Comercial da TCP, Thomas Limas.

“A experiência do nosso time dedicado para essas operações somada à nossa sensibilidade para compreender o que de fato importa para nossos clientes, com todas as suas peculiaridades, faz com que as operações de carga de projeto ocorram de modo natural e tranquilo para nós”, completa o executivo.

 

Fonte: Click Petróleo e Gás