A importância da eficiência portuária para o agronegócio foi tema da reunião entre a diretoria da Portos do Paraná e o grupo técnico de infraestrutura e logística do G7, na sede do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado (Ocepar), nesta terça-feira (3). A empresa pública apresentou obras e ações para agilizar o embarque e aumentar a competitividade dos produtos paranaenses.

“O nível de eficiência portuária influencia, diretamente, a competitividade dos produtos do agronegócio. Uma alta eficiência portuária conduz a baixos custos de exportação que, por sua vez, favorecem a concorrência das mercadorias nacionais nos mercados internacionais”, explica o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

No Porto de Paranaguá, cerca de 92% das exportações são de produtos agrícolas. O porto paranaense é o primeiro do Brasil em exportação de óleo de soja e frango congelado; o segundo em exportação de soja, farelo de soja, açúcar, carne e álcool; e o terceiro em exportação de madeira.

Segundo Garcia, a aproximação com o setor produtivo é essencial para entender as necessidades do mercado. “A intenção é trabalhar em conjunto, ouvindo quem exporta via nossos portos”, conta.

Para o superintendente da Ocepar, Nelson Costa, o diálogo é importante para que a empresa pública apresente os investimentos e prazos dos projetos que realiza. “É uma oportunidade de reestabelecer o canal de comunicação entre os Portos do Paraná e a sociedade civil organizada, principalmente com as federações e sindicatos”, avalia.

A principal questão levantada pelos representantes do grupo técnico é o panorama futuro, após a conquista da delegação de competências pelos Portos do Estado, em especial quanto aos novos arrendamentos de áreas.

O G7 é grupo de entidades representativas do setor produtivo paranaense,  e reúne Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar) e Associação Comercial do Paraná (ACP).

Também participaram da reunião o diretor jurídico da Portos do Paraná, Marcus Vinicius Freitas, e o chefe do Departamento de Planejamento, Carlos Eidam de Assis.

Fonte: Portos do Paraná