A empresa Portos do Paraná iniciou nesta sexta-feira (18) uma operação para orientar, prevenir e solucionar o problema da obstrução nas vias de acesso ao Porto de Paranaguá e aos terminais de armazenagem e movimentação de grãos e contêineres. Batizada de Operação Cateter, a medida é educativa e voltada aos caminhoneiros, mas pode levar ao bloqueio do cadastro do veículo e restringir o carregamento e descarga dos produtos. A ação visa acabar com o estacionamento irregular nas ruas e evitar congestionamentos.

Organizada pela Guarda Portuária, a medida emergencial deve durar cerca de dez dias, podendo ser prorrogada. “É uma ação conjunta da Diretoria de Operações e da Unidade Administrativa de Segurança Portuária (Uasp), em uma tentativa de melhorar o fluxo de veículos e evitar bloqueios no tráfego”, disse o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Ele explica que a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) é responsável pelas sanções cabíveis aos operadores portuários, mas as infrações de trânsito, dentro da cidade, são de responsabilidade do poder municipal e da Polícia Militar. “Como autoridade portuária, temos limites de atuação, mas procuramos os agentes envolvidos, incluindo as empresas, para que, juntos, possamos acabar com o estacionamento irregular de caminhões que gera problemas não apenas para a operação do porto, mas para toda a cidade”, completa.

OPERAÇÃO – De acordo com informações da Uasp, a partir desta sexta (18) e pelos próximos dias, três viaturas e seis guardas portuários farão a ronda e estarão posicionados em cinco pontos mais críticos. Além de orientar os motoristas quanto às rotas a serem seguidas, de acordo com a natureza da carga, os guardas registrarão boletim de ocorrência para providências ao constatarem alguma irregularidade, ou caso os motoristas insistam na infração.

Os infratores terão as placas dos caminhões anotadas. A situação será registrada com imagens e o boletim de infração de trânsito, desobediência ou outra ocorrência irão para a chefia da Guarda Portuária, que poderá bloquear o veículo no sistema de acesso à faixa primária, terminais públicos, pátios, sistema Carga Online e, no caso dos caminhões de contêineres, no sistema de acesso do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP).

Em caráter preventivo, a Operação Cateter visa identificar e analisar os locais e as principais causas dos congestionamentos e obstruções das vias de acesso. “Essas informações constatadas in loco servirão para que novos procedimentos operacionais e administrativos sejam sugeridos e adotados, interna ou externamente, com a anuência dos demais terminais e órgãos fiscalizadores”, explica a Guarda Portuária, em nota.

AVISOS – Nesta sexta e no sábado (18 e 19), os motoristas cadastrados no sistema Carga Online, já aguardando no pátio ou em trânsito, receberão um SMS com a seguinte mensagem: “caminhões estacionados em locais proibidos, bloqueando vias ou limpando carretas, entrarão em restrição, ficando sem cadastro para nova viagem ao Porto”.

De acordo com o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior, além das mensagens, a equipe da diretoria orientou os operadores para atuar na fila do próprio terminal. “Cada operador tem essa responsabilidade, sob pena desses bloqueios que serão feitos nos sistemas de carga e descarga”, afirma.

“Quando acontecem os congestionamentos, todos perdem. O usuário não consegue chegar ao destino da sua carga, seja nas moegas dos terminais graneleiros, seja no pátio dos contêineres. O cidadão não consegue transitar e a segurança no trânsito fica comprometida. Estamos fazendo de tudo para minimizar ao máximo os efeitos desta movimentação portuária sobre os parnanguaras”, garante Teixeira.

BOX
Veja os pontos de atuação da Operação Cateter

Ponto 1 – esquina da Avenida Ayrton Senna com a Rua Manoel Bonifácio. Ação: orientação de trânsito; caminhões conteineiros destinados ao TCP, carregados ou vazios, devem seguir pela Rua Manoel Bonifácio até a rua Barão do Rio Branco.

Ponto 2 – esquina da Avenida Ayrton Senna com a Avenida Coronel José Lobo. Ação: orientação de trânsito e controle de fluxo de veículos.

Ponto 3 – equina da Avenida Coronel José Lobo com a Rua Barão do Rio Branco. Ação: orientação de trânsito, controle de fluxo de veículos, fiscalização e registro de infração para elaboração de Boletim de Ocorrência.

Ponto 4 – final da Rua Barão do Rio Branco com a Avenida Costeira. Ação: orientação de trânsito, controle de fluxo de veículos, fiscalização e registro de infração para elaboração de Boletim de Ocorrência.

Ponto 5 – Avenida Portuária, em frente ao TCP. Ação: orientação de trânsito, controle de fluxo de veículos, fiscalização e registro de infração para elaboração de Boletim de Ocorrência.

Fonte: Portos do Paraná