O governador Beto Richa liberou nesta quarta-feira (21), no Palácio Iguaçu, a ordem de serviço para início das obras no cais Oeste do Porto de Paranaguá. O investimento de R$ 177,58 milhões abrange modernização dos berços de atracação 201 e 202 e de ampliação do berço 201. O projeto será custeado com recursos próprios da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Richa ressaltou a importância da obra tendo em vista o aumento significativo da movimentação de cargas nos últimos anos, especialmente os embarques do complexo agroindustrial da soja. “Essa é mais uma demonstração da boa governança implantada nas empresas públicas do Estado do Paraná”, destacou Richa.

“Este empreendimento vai triplicar a capacidade de exportação de grãos. Além disso, amplia a competitividade dos produtos paranaenses e brasileiros”, afirmou o governador. Segundo ele, o projeto garante o escoamento da produção do Paraná e da área de influência do Porto de Paranaguá, que abrange os estados do Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina e o Paraguai.

CRONOGRAMA – O prazo de execução da obra é de 18 meses e será realizado pela empresa vencedora da licitação, o Consórcio B201 (Tucumann e TMSA). O projeto consiste no prolongamento de 100 metros da estrutura civil do Berço de atracação 201 e modernização das estruturas dos berços 201 e 202, o que possibilitará o aprofundamento do nível de dragagem para 13,70 metros.

A proposta também prevê a substituição de toda estrutura eletromecânica, incluindo dois novos carregadores de navios de 2.000 toneladas/hora – hoje operando com 1000 toneladas/hora e 1.500toneladas/hora. As reformas incluirão reforço estrutural, instalação de passarela de pedestres, troca de defensas, espaçadores metálicos, e a instalação de novo dolfim (coluna) de amarração de navios.

O secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, lembrou que as obras de ampliação e melhorias do cais oeste do Porto de Paranaguá respondem a um desejo antigo da comunidade portuária. “São 28 anos de espera. Desde 1990 já foram elaboradas três versões do projeto”, explicou ele.

“Esta será a segunda grande obra com recursos públicos no cais do Porto de Paranaguá em 80 anos, sendo as duas executadas nesta gestão. Uma obra que vai elevar o patamar do Porto”, declarou o secretário. Ele citou a reforma nos 1,9 mil metros lineares do cais de acostagem e a trocas de quatro shiploaders (carregadores de navios).

AUMENTO DE PRODUTIVIDADE – O prolongamento em 100 metros do berço 201, no extremo Oeste do porto, permitirá a atracação no local de navios de grande porte. Com isso, a capacidade anual de movimentação de carga do berço aumentará dos atuais 2 milhões de toneladas de grãos para 6,5 milhões de toneladas.

O diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, disse que com a obra, incluindo as dragagens realizadas, será possível baixar o frete marítimo em quase US$ 5 por tonelada. “Isso irá repercurtir positivamente para o agronegócio paranaense. Preparamos o Porto para que se possa produzir mais”, afirmou.

Dividino explica que todo projeto atende os requisitos do Plano Ambiental de Construção – PAC. “O PAC apresenta todos os elementos diretamente envolvidos no processo construtivo da obra, de acordo com a legislação ambiental vigente. Fizemos tudo visando o desenvolvimento das atividades, racionalização de custos, mas sem prejuízos ao meio ambiente”, enfatiza.

Segundo ele, as mudanças trarão mais agilidade nas operações do porto e a possibilidade de atracação de navios maiores e mais pesados, de até 80 mil toneladas de porte bruto (TPB).

FÔLEGO – A obra também dará um fôlego extra ao setor leste do Porto de Paranaguá, que está sobrecarregado e não pode mais ser ampliado. Segundo projeto apresentado pela Appa, o setor leste já vem trabalhando com demanda reprimida, principalmente em relação a graneis sólidos vegetais, e está próximo ao seu limite logístico e operacional.

Com a ampliação do cais oeste, a movimentação de cargas será triplicada, descongestionando o setor leste, e abrindo novas alternativas de escoamento para o agronegócio do Estado do Paraná.

PRESENÇAS- Participaram da solenidade o deputado estadual Tião Medeiros; presidente da Companhia de Habitação do Paraná, Abelardo Lupion; e o diretor de engenharia da APPA, Paulinho Dalmaz.

 

Fonte: APPA – Administração dos Portos de Paranaguá