As vendas de veículos novos devem crescer 9,67% neste ano, segundo a previsão da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O presidente da entidade, que representa as concessionárias, Alarico Assumpção, avalia que os indicadores econômicos apontam para um ano muito bom para o setor. “Juros baixos, uma inflação extremamente sob controle, crédito mais fácil do que tínhamos no passado e uma inadimplência baixa, tudo isso traz um alento muito positivo”, enumerou sobre os fatores que embasam as estimativas da federação.

Queda

Mesmo com previsão de aquecimento do mercado, o primeiro mês do ano registrou queda nas vendas de 1,61%, de acordo com o balanço divulgado hoje (4).

Assumpção disse que, em parte, a retração foi causada pela suspensão do licenciamento no estado de São Paulo, devido a transição do modelo das placas para o modelo do Mercosul.

A mudança entrou em vigo no último dia 31, mas, segundo o presidente da Fenabrave, na semana anterior já não era mais feito o emplacamento no modelo brasileiro. “Perdemos, basicamente, uma semana e isso alterou, sem sombra de dúvida, o volume para o mês de janeiro”, enfatizou, sobre as vendas que devem aparecer no balanço de fevereiro.

Além do atraso no licenciamento, Assumpção atribui a redução da comercialização no primeiro mês do ano ao cenário externo conturbado. “A crise que tivemos com fatores externos que não deixa de ter um agravamento também no mercado doméstico e, consequentemente, na economia brasileira”, acrescentou.

Entre os veículos, os automóveis tiveram a maior queda, com redução de 5,62% nos emplacamentos de janeiro em relação ao primeiro mês do ano passado.

De acordo com a Fenabrave, foram vendidos 154,5 mil carros em janeiro. A estimativa da federação é que o segmento feche o ano com uma expansão de 8,99%, totalizando 2,4 milhões de unidades.

Caminhões

O maior crescimento é esperado para o setor de caminhões (24%), com a venda de 126,1 mil novas unidades. “A crença de uma supersafra, conforme já anunciado pela própria Conab [Companhia Nacional de Abastecimento], mais de 240 milhões de toneladas de grãos, esse é o grande alavancador do caminhão, principalmente o de grande capacidade de carga”, explicou Assumpção, sobre a estimativa.

No início de janeiro, a Conab divulgou a estimativa de que a safra de grãos 2019/2020 bata o recorde da série histórica, com a produção de 248 milhões de toneladas, um aumento de 2,5% ou na comparação com 2018/19.

No primeiro mês deste ano, os caminhões registraram alta nas vendas, 3,66%, com a comercialização de 7,1 mil veículos do tipo.

Fonte: Agência Brasil